segunda-feira, 2 de Janeiro de 2012

quarta-feira, 25 de Agosto de 2010

Tenho saudades...

...de escrever.

terça-feira, 11 de Agosto de 2009

segunda-feira, 27 de Julho de 2009

sábado, 25 de Julho de 2009

Super Rock 09

Sim!

Mando Diao
.
Opah.. Que tem boa voz, pronto, mas entre Mando Diao e The Killers só se for mesmo pra acalmar o pessoal.. Ou adormecer.. Ou não sei...
.
Não.

Duffy
.
Muitas palmas nesta brilhante estreia, ainda pra mais quando têm o cuidado de repetir músicas pedidas pelo público.
.
SIM SIM SIM! Podem voltar!!

The Killers

quarta-feira, 15 de Julho de 2009

sábado, 11 de Julho de 2009

Optimus Alive 2009!

E já está!
Comentário breve, acerca das 3 bandas que fui ver:
.

Esqueçamos a parte dos "eles são tão giros e fofos e faz-me um filho, Luke!". Apesar da energia imensa, para quem não conhece as letras (not my case, eu, todas, de trás para a frente), também não foi desta que as conseguiu perceber. E vai muito mais além do sotaque. Vai mesmo ao ininteligível. Muita pena eu já ter chegado no fim.
.
Muito bom. Até para quem não gostava assim tanto do último cd, lá mudou de ideias.
.

Gosto muito destes finais de festival! Bom concerto, para quem só tem 1 único álbum. E é impossível não ficar com o "that's not my name" em loop mental.
.
Foi óptimo(us).
Azar para quem lá não esteve.
Para o ano há mais!

segunda-feira, 29 de Junho de 2009

[Mestra(n)do]

Vivem-se dias de aflição cá em casa em que bens essenciais, como o papel higiénico, a comida e o body milk se nos acaba de tanto trabalho e tão pouco tempo to breeeeeeath!!!!!
.
[R., não me esqueci do teu post, que te prometi no teu aniversário! Desculpa o atraso, mas sairá em breve]

sábado, 27 de Junho de 2009

sexta-feira, 26 de Junho de 2009

Oh.Meu.Deus!

O final de ano lectivo é coisa dramática, para mim, trabalhadora-estudante (ambas quase a tempo inteiro).
Ora são os relatórios, ora são as re-avaliações dos putos, ora são os trabalhos do Mestrado, individuais e em grupo.
Para completar o cenário de II Guerra Mundial da papelada - que no final ninguém vai ler, ou pelo menos, ninguém vai olhar com olhos de ver - o meu fiel portátil resolve adoptar um look cinzento-fantástico no ecrã, que se vai desvanecendo à medida que as deadlines surgem.
Desesperada, com trabalho a meio para entregar no próprio dia, lá corro a caminho da Staples, para estoirar o subsídio de férias num Mac ou num Sony Vayo.
Pois bem, Mac's com aspecto do pior e, segundo a senhora da assistência ao cliente, dificuldades de compatibilidade e Vayos que custavam mais que os olhos da cara e coitadinhos. A tal senhora da coisa técnica insiste nos HP's, que "não se paga tanto a marca e que há uns modelos tão melhores agora" e, tendo em conta que eu queria um portátil pequenito para a minha constante vida de nómada, lá me impinge um pc de edição limitada, cuja descrição se abreviou numa simples sms para a minha colega de casa:
.
"Comprei um HP. Feio que nem um burro. Muita feio mas, ao que parece, muita bom."
.
Não vou falar da cor de bronze das teclas e do hardware geral, nem as linhas meio castanhas a combinar com o resto do visual. Nem do facto de as teclas terem as letras a preto, que mal se vêem, mas que não interessa nada, porque uma workaholic como eu já escreve com os pés e a fazer o pino e de cambalhotas e, claro, com os olhos fechados. Nem vou mencionar as luzes tunning ou o reconhecimento do user através de fingerprint.
A minha colega diz que "o que interessa é o interior".
Eu digo que "primeiro estranha-se e depois entranha-se" e já estamos a viver momentos de intensa paixão, em que o pobrezito me segue para todo o lado e que, neste momento, não havia Asus, Mac ou Vayo nenhum pelo qual eu o trocasse. Nem que a BMW fizesse um computador!
.
É meu, só meu e eu amo-o!