sábado, 26 de julho de 2008

Amar será*


partilhar mesmo que a outra pessoa só oiça metade da frase, entender as músicas melodramáticas que passam na rádio, entrar em depressão se a pessoa vai passar o fim de semana fora, deixar que nos paguem tudo e mais alguma coisa porque isto vem ligado à partilha (partilhar pró outro lado é bom ), apanhar grandes secas enquanto escolhem os ténis brancos com riscas pretas ou pretos com riscas brancas, achar piada à pronúncia de dossié vs. dossiê (dossier é que não!), ter vontade de fazer coisas românticas como atirar-se de um penhasco a gritar qualquer coisa do género ADRIAAANOOOOOOO, comprar uma guitarra eléctrica pra fazer músicas sem saber ler nem escrever, beber 7 cafés por dia só pra ver se pessoa já chegou ao bar, fugir semanas inteiras só pra depois parecer que estiveram taaaanto teeeempo loooonge, cortar o cabelo e tirar fotos com o telemóvel com a sms "gostas do meu novo look?", trocar músicas na net e dizer "gosto taaaanto dos teus gostos", utilizar indiscriminadamente a pseudo-palavra "Adr-t", dizer bocanices (vulgo parvoíces) a torto e a direito porque a pessoa gostará de nós como somos, entre tantas outras coisas... E não vamos lá falar de tatuagens.

Enfim, amar é ser idiota só porque se quer e parvo mesmo só porque se gosta.

.

* ou não.

domingo, 20 de julho de 2008

sábado, 19 de julho de 2008

Semana de Festa!

As festas da terra são sempre festas às quais já se perdeu de todo o sentido religioso, restando apenas a paródia e os reencontros.
Entre os jantares que vamos porque a amiga convidou mas que nem sabemos quem vai, mas nós vamos e pronto, até aos reencontros com amigos de infância que não vemos faz anos, porque vão estudar ou trabalhar fora e só regressam um fim de semana de mês a mês, o facto é que a festa reaproxima as pessoas, nem que seja nesta semana.
Canta-se nos petiscos, fazem-se filmes que às vezes nem chegamos a ver, conhecemos pessoas novas, há desgostos de amor por essas esquinsa, os melhores amigos, na sua confusão floribelliana, pedem namoro às melhores amigas porque afinal é festa, e porque não?
A troca de números de telemóvel, que entretanto se tinham perdido com o tempo, aumenta exponencialmente e as mensagens "onde estás?" são as mais fáceis de escrever, porque o espírito da festa obriga-nos a telefonar se for um assunto mais complexo, como por exemplo, combinar um ponto de encontro, para não haver dúvidas se enviámos a mensagem ou se a escrevemos até!
Acabo a minha noite com as calças com lama até aos joelhos e com os pés metidos dentro de uma fonte, a testar a capacidade de equilíbrio dos meus sapatos de borracha enquanto os meus pés regressam à cor normal, após ter dançado músicas que no momento não interessam no meio de pessoal que confraterniza todo, pelo menos nesta noite.
São assim as festas religiosas da minha santa terrinha.
.
(aguardam-se fotos!)

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Apetece-me

agarrar em mim e mergulhar no mar, respirar fundo, perder-me numa montanha, descalçar os sapatos e correr até ao cimo das nuvens.
Apetece-me Mudar qualquer coisa!
.
E o que te apetece?


Subi os arco-íris só para te encontrar. Com a luz do sol, procurei o vento e nas cores da minha saia, senti o balanço do mar. Os pés descalços fazem-me deslizar até ao verde do que está lá em baixo.

Na verdade, o que interessa não é encontrar-te ou não, é ter abraçado as cores com as minhas mãos.

domingo, 13 de julho de 2008

Shall we?

Mariazinha sempre teve a mania de querer saber mais, o que a leva a fazer cursos de 20 horas ao sábado e domingos, supostamente quando já está de férias. Mas isso é um pequeno aparte.
Tirando as vezes em que o nosso formador falava nele na terceira pessoa e punha questões e tirava respostas dele próprio, numa demonstração borderline de personalidade ("Vocês estão vendo este distúrbio temporomandibular? Oh Adriano, que distúrbio é esse? Ah, Adriano, é congénito", tal e qual...), o que de todo não invalidou a excelência da sua transmissão de conhecimentos (fiquei fã do Adriano), giro giro (ou fixenex, expressão que a seguir ao "nooossa" foi a que revelou mais taxa de uso), foi quando a Mariazinha, com a mania do bilinguismo, pergunta:
- Adriano, podemos fazer um break?
E Adriano responde:
- Um break dance?
..........

terça-feira, 8 de julho de 2008

Há quem deva pouco à inteligência...

Sala de informática.

B. (sexo masculino) coloca a pen na porta USB do pc. Vai aos Meus Documentos. Revolve o pc. Sem paciência, furioso, enfim:

- Epaaaaah não consigo encontrar a pen... Esta merda deste pc 'tá avariado!!

D. (sexo feminino), habituada à lack of do dito cujo:

- Óhh B., não vês que a pen está no Meu Computador??? (ar de "duh!!")

Resposta:

- 'Tá no teu computador, o c*r*lh*!!!, que se eu pus a pen aqui está neste e pronto, deves pensar que gozas comigo!!

.....

..........

..............

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Neste final de dia

sinto-me como se, hoje, Portugal tivesse ganho o Europeu e, amanhã, fosse altura de começar a pensar nos bunkers, assim não vá rebentar a III Guerra Mundial lá para os lados do galinheiro...
.
É que os conhecimentos vão-se adquirindo, as boas práticas vão-se aprendendo mas os carácteres, esses, depois de construídos, pouco há a fazer.