sábado, 14 de fevereiro de 2009

Projectos de

Há coisas que não queria fazer sozinha.
Apesar de ser eu a descobri-las, a criar ilusões sobre elas, a enfiar mentalmente lá pessoas que acharia que tinham algo a ganhar.
Depois de passar o entusiasmo a outros, cujo feedback é sempre positivo, pois claro, com tanta agitação e planos de um futuro melhor, acaba-se, como é óbvio, num "lembras-te quando?".
Dou por mim a pensar que se é assim tão bom ou não, se calhar até nem interessa. O que eu gostava mesmo era da companhia.