quarta-feira, 27 de maio de 2009

O Melhor Momento Musical de Portugal

A sério... eu podia dizer tanta coisa... Mas não consigo... Não sou capaz... Alguém sabe onde é o próximo espectáculo? Eu tenho de ir lá... Mesmo... E o cabelo? Ai mãezinha do céu, que paixão...

segunda-feira, 25 de maio de 2009

domingo, 17 de maio de 2009

Strange Days

Quantas vezes, quando éramos pequenos, saltávamos na calçada da escola, tentando não pisar nenhuma das linhas dos quadrados que forravam o chão? Essa proeza iria predizer alguma coisa boa, atirávamos um desejo ao ar e, caso conseguissemos o equilíbrio necessário em bicos de pés, era sucesso garantido.
Quantas vezes não lançámos a sorte ao ar, deixámos o destino entregue às mãos do acaso?
Se aquela música toca mais do que uma vez ao passar no mesmo sítio achamos que é um sinal. Associamos a alguém que fica marcado naquele momento e de cada vez que ele se repete. Um mesmo gesto, numa mesma situaçao, um déjà vu. Deixamos ver. Mas fazemos alguma coisa? E alguma coisa eficaz? Ou tentamos dar apenas um jeito, um empurrão-muito-zinho?
Por vezes, temos tendência a lembrarmo-nos mais do passado do que deveríamos. É porque gostávamos de alterá-lo ou é para nos recordarmos de não deixar passar a próxima oportunidade, quando ela surja?

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Planos

Eu cá sou pessoa de fazer planos. Independentemente que possam ou não sair furados. Não interessa. Planear faz-nos pensar sobre o assunto, reflectir sobre as hipóteses e as consequências. Torna-nos mais conscientes daquilo que queremos, daquilo que não queremos, daquilo que poderemos querer. Faz-nos ter ideia daquilo com que podemos contar.
Aquela coisa do "viver um dia de cada vez", tudo muito bem, até certo ponto. Quando a filosofia do "dia de cada vez" me começa a parecer eterna, começo a preconizar tempos de incerteza. "Vou planear isto. Ah, não devo, um dia de cada vez, LOGO SE VÊ". Detesto a expressão e desculpem, não sou de ver logo. E se for ver logo, é porque decidi isso agora.
Gente sem planos e do logo se vê, não obrigada.

terça-feira, 12 de maio de 2009

QUERO!!!!!

no Super Bock Super Rock
.
no Optimus Alive

De contrário, corto os pulsos. Leste bem???

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Guia Essencial - Como Namorar com um Borra-Botas

Este guia destina-se a pessoas que desejem e queiram perder tempo a experimentar o submundo do "eu gostava era de ser espanhol"+"eu até quero parecer que sei montar a cavalo"+"dançar sevillanas é o que sei fazer melhor"+"gajas, putas e vinho verde" e dizer-me se aprendeu qualquer coisinha que não se resuma ao simples pensamento "POR AMOR DE DEEEEEUS".
.
1. Extremamente imprescindível a ida a Espanha comprar botas campeiras+calças de montar (não interessa se sabe o que é um cavalo ou não).
2. Comecem a montar a cavalo (não é propriamente equitação.. é dar pernadas no cavalo e desejar um dia ser Joaquina Bastinhas-sem-medo!).
3. Esqueçam os programas culturais. Passem horas no picadeiro. Só saiam de lá quando se sentirem satisfeitas com a terra na boca e as mãos a cheirar a bosta.
4. Basifiquem os vossos temas de conversa com os amigos dele. Digam qualquer coisa do género "Já fui a Londres" de forma breve, só pra ganhar o respeito. Não excedam os 2 segundos na frase senão perde efeito. A seguir façam muitas perguntas sobre façanhas (ditas) cavaleiras, tipo quantas vezes caíram do cavalo, bêbados.
5. Aprendam a dizer "á-á-á" e "é-é-é" como se estivessem a pegar toiros. É o cumprimento básico quando vêem o amigo do namorado. Isso e dizerem "hombre!" enquanto levantam o braço e o saúdam como se estivesse a regressar vivo (finjam que felizmente) de uma praça de toiros.
6. Ajudem os amigos do namorado a listar presas. Do mais rameiras possível, com sacos na cabeça ou sem eles, não se desperdiça nada. Como dizem "têm-nas todas no mesmo sítio, á-á-á é-é-é".
7. Estejam preparadas para o "gosto tanto de ti mas sou uma alma liberta por isso tens de fazer muitas coisas pra não te lembrares que existo pra não te lembrares de me telefonar".
8. "Se não falarmos hoje, falamos amanhã" é normal.
9. No carro, com as sevillanas aos berros digam "amor, a minha mãe ligou: a minha avó tá muito mal no hospital..." (lágrimas). Baixar o volume do rádio, dizer "Maria, tens de perceber que a tua avó já é velha", e continuar com as sevillanas aos berros a bater palmas é a melhor maneira de vos fazer passar a tristeza.
10. Façam a pergunta "quando gostas mais de mim?". Se a resposta for "quanto estou bêbado porque fico mais carente" é porque a raça é genuína.
11. Não existem ciúmes. Isso é motivo pra eles se zangarem, porque olhar pra gajas, dançar com elas, fazer comentários ordinários às mamas e outros sítios que não vêem é só um ritual de "tens um homem de verdade em casa". E eles não têm ciúmes, nós estamos "bem ensinadas".
12. Dançar sevillanas e saber o que são bandarilheiros é básico. Procurem aulas (de sevillanas e de como-ser-forcada) nem que seja a 300 km, de preferência para a esquerda do mapa. Espanha.).
13. Nos passeios a cavalos, aplaudam quando 6 homens brincam aos toiros e às pegas, em que um é o toiro, outro o cavaleiro, outro o forcado, outros 2 os ajudas e o que sobra, é o bandarilheiro.
14. Esperem que vos procurem em momentos de depressão e consolo. Ou em momentos que precisam da vossa inteligência para fazer trabalhos de "como lavar as mãos em procedimento cirúrgico de vacas", já que o Google deve ser nome de gelado.
15. Não esperem nada em troca. Não porque seja bonito não esperar, mas porque não vão ter.
16. Gosto, não gosto, quero, não quero, vou, não vou é lema. É deles. Aprendam a amar.
17. Estejam sempre de botas calçadas, podem acabar num monte à esturreira enquanto correm atrás de poldros e bezerros.
18. Em momentos de auge cultural (tradução: ver um filme na tvi), preparem-se para ler a legenda, explicar a história e a lógica do final.
19. Não vistam roxo, não pintem as unhas de vermelho. Não são coisas de mulher sérias e, se algum dia o vosso namorado se lembra que vocês até podem sair com ele, vocês têm de estar impecáveis.
20. Não peçam opinião, só vão ficar a conhecer a profundidade de pensamento do rapaz: a mesma que a da Carla Matadinho a falar da possível relação entre o último livro de José Saramago e o ácido desoxirribonucleico.
21. Preparem-se para patilhas até à boca, barba a entrar pelo nariz e pensem de vocês pra vocês "no fundo, ele é tão sexy".
22. Os termos "fostes", "gostastes" e "viestes" existem na Gramática do Matarroano. Aceitem.
23. Amem picos emocionais: "eu não gosto de pessoooooas, eu sinto-mal o tempo todo, com ou sem namorada" alterna com "a minha vida é ao sabor do vento, livre, eu sou mesmo assiiiim e não vou mudar".
24. Quando se voltarem a sentir normais e terminarem tudo, riam-se quando ele disser "tu não voltas a dizer que acabas comigo, eu não suporto isso. Para todos os efeitos, quem acabou fui eu!".
25. Abracem tudo isto como ensinamentos e histórias para contar nos jantares de amigas, de rir até à morte e sigam felizes as vossas vidinhas. Eles hão-de andar sempre por aí aos pulos. Ou às pegas aos toiros...
.
p.s. Não encontrei imagem à altura disto. Aceito sugestões.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Respirando Fundo

Amanhã explicar-vos-ei os segredos da vida com sucesso...