sexta-feira, 26 de junho de 2009

Oh.Meu.Deus!

O final de ano lectivo é coisa dramática, para mim, trabalhadora-estudante (ambas quase a tempo inteiro).
Ora são os relatórios, ora são as re-avaliações dos putos, ora são os trabalhos do Mestrado, individuais e em grupo.
Para completar o cenário de II Guerra Mundial da papelada - que no final ninguém vai ler, ou pelo menos, ninguém vai olhar com olhos de ver - o meu fiel portátil resolve adoptar um look cinzento-fantástico no ecrã, que se vai desvanecendo à medida que as deadlines surgem.
Desesperada, com trabalho a meio para entregar no próprio dia, lá corro a caminho da Staples, para estoirar o subsídio de férias num Mac ou num Sony Vayo.
Pois bem, Mac's com aspecto do pior e, segundo a senhora da assistência ao cliente, dificuldades de compatibilidade e Vayos que custavam mais que os olhos da cara e coitadinhos. A tal senhora da coisa técnica insiste nos HP's, que "não se paga tanto a marca e que há uns modelos tão melhores agora" e, tendo em conta que eu queria um portátil pequenito para a minha constante vida de nómada, lá me impinge um pc de edição limitada, cuja descrição se abreviou numa simples sms para a minha colega de casa:
.
"Comprei um HP. Feio que nem um burro. Muita feio mas, ao que parece, muita bom."
.
Não vou falar da cor de bronze das teclas e do hardware geral, nem as linhas meio castanhas a combinar com o resto do visual. Nem do facto de as teclas terem as letras a preto, que mal se vêem, mas que não interessa nada, porque uma workaholic como eu já escreve com os pés e a fazer o pino e de cambalhotas e, claro, com os olhos fechados. Nem vou mencionar as luzes tunning ou o reconhecimento do user através de fingerprint.
A minha colega diz que "o que interessa é o interior".
Eu digo que "primeiro estranha-se e depois entranha-se" e já estamos a viver momentos de intensa paixão, em que o pobrezito me segue para todo o lado e que, neste momento, não havia Asus, Mac ou Vayo nenhum pelo qual eu o trocasse. Nem que a BMW fizesse um computador!
.
É meu, só meu e eu amo-o!

4 mentes brilhantes já se revelaram:

Angelo disse...

Pois eu digo o mesmo do meu Mac, coisa mau' linda!
É meu, só meu e eu amo-o!

Luís João disse...

Mas que blog post tão geek! Até pareces uma informática :P

Mokas disse...

poix... eu tenho um mac... eu gosto do meu mac book pro... porque simplesmente... FUNCIONA quando estou no deadline e abuso dele.

Nuno disse...

É parecido com o meu. Cor e tudo. Pequenino (12,1" é o que chega). 320 gb de memória! Uau, também fiquei fascinado com esta nova edição! Funcional, rápido! Óptimo!